Logo Grupo EVA

OUTROS CARNAVAIS

COMO TUDO COMEÇOU

No final dos anos 70, um grupo de 11 amigos do Colégio Marista (Ademarzinho, André Silveira, Jorginho Sampaio, Ricardo Martins, Jonga Cunha, Maurício Magalhães, Hunfrey Ataíde, Guto Almendra, Eduardo Gil, Pernambuco e Cyro Coelho) comandava um Grêmio, intitulado Eva, e se reunia frequentemente no sítio de Adermazinho, localizado na Estrada Velha do Aeroporto. Após passarem no vestibular, os amigos mantiveram os encontros e a partir daí surgiu a idéia de criar um bloco de carnaval, o EVA, em 11 de Fevereiro de 1980. Logo no início, os amigos e sócios decidiram chamar mais duas pessoas para essa parceria: Lui Muritiba e Waldir, professor de Química, mas os dois ficaram por pouco tempo. Assim, no 1º carnaval, de 1981, o EVA tinha 11 sócios.

O primeiro passo foi marcar uma reunião com Carlos Correa (Gordinho) e Carlos Muller, que fizeram um projeto de som para o Eva. Nesse primeiro ano o bloco já saiu com um trio elétrico próprio, que os idealizadores construíram em Feira de Santana. O trio já tinha caixas de som e voz, e esses já foram grandes diferenciais na época, porque a grande maioria tinha cornetas Selenium, aquelas em formato de cone dos trios antigos, e não tinha voz. Somente os trios do bloco Traz os Montes (banda Scorpius, que mais tarde virou Chiclete com Banana), Dodô & Osmar, Novos Baianos e o EVA tinham esse tipo de caixa em 1981. A percussão ficava embaixo do trio e o Eva tinha apenas 2 caixas e 1 bumbo em cada lateral.

A 1ª Festa do EVA foi no dia 04 de Junho de 1980, na Casa de Festejos (Ex-Parafernália), com a banda Scorpius. Os sócios já pensavam em formar a banda Eva, mas Gato e Aderson, que ficaram impressionados com a primeira festa e com o trabalho de divulgação do Grupo, procuraram os jovens empreendedores e disseram que estavam saindo da banda Scorpius e que queriam formar a primeira banda Eva com eles. Além dos irmãos, ex guitarras baianas, o contrabaixista Levi tinha saído do Trio Tapajós e também quis fazer parte da banda, que destacou esses três nomes no carnaval de 1981. Não tinha um cantor específico, mas Aderson e Levi assumiram os vocais. Nessa época as canções “Sim, é com a Flor” (A cor do Som), “Chão da Praça” (Moraes Moreira), “Evaporação” (Jonga, Eduardo Gil e André Silveira) e “Deixa o Coração Mandar” (Waltinho Queiroz) faziam o maior sucesso. Aderson era guitarra baiana de solo e Gato tocava guitarra baiana de acompanhamento. Levi foi um dos músico da extinta banda “Asa de Águia” desde a sua criação.

O Eva também foi palco de grandes estrelas da música baiana como Jota Morbeck (in memorian), Marcionílio, Ricardo Chaves, Daniela Mercury, Asa de Águia, Ivete Sangalo, Emanuelle Araújo, Saulo Fernandes e desde março/2013, o Eva é o grande palco de Felipe Pezzoni. Talento foi o que nunca faltou na história do Eva e por isso músicos como Bastola (in memorian), Roney Scot, Tony Mola, Octávio Américo, Nino Moura, Luisinho Assis, Radamés Venâncio, Carlinhos Brown, Luiz Caldas, Paulinho Andrade, Jonga Cunha e Ramiro Mussoto (in memorian) também passaram pelo EVA.

Share Button

Siga-nos